O estado brasileiro de Roraima, vive uma crise humanitária desgovernada por conta da migração de venezuelanos para o país.. A Polícia Federal divulgou um levantamento onde, cerca de 90 mil venezuelanos entraram no Brasil entre 2017 e 2018.

As principais cidades de entrada de migrantes venezuelanos são a capital Boa Vista e Pacaraima. Só em Boa Vista, estima-se que 40 mil migrantes oriundos da Venezuela já tenham entrado na cidade. Representam 10% do total de habitante da cidade.

E marco deste ano, uma operação do Governo Federal liderada pelo Exército brasileiro iniciou-se para controlar o fluxo desse migrantes para que os atendimentos de documentação, trabalho e abrigo sejam melhorados.

Porém, mesmo com toda a ajuda do Governo Federal, o estado de Roraima ainda enfrenta uma crise humanitária pois são cerca de 400 migrantes venezuelanos cruzando a fronteira todos os dias. Além da ajuda federal, o estado recebe ajuda financeira e material  através de doações de alimentos, roupas, material de estudo que são entregues através da Campanha de Solidariedade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciada em fevereiro.

O bispo de Roraima, dom Mário Antônio da Silva, já recebeu na conta da Diocese de Roraima, cerca de R$390.000,00. Esse valor que é usado para compra de alimentos, roupas, remédios e necessidades básicas que são destinados aos migrantes venezuelanos que se encontram nos abrigos.

Além dessa iniciativa, em abril, durante a Assembleia Geral da CNBB, os bispos aprovaram que fosse destinado 40% dos recursos do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) para a diocese de Roraima, para prolongar o atendimento a esses migrantes.

Mesmo com toda ajuda já recebida, precisa-se diariamente de doações de qualquer maneira. Uma delas, a Diocese de Roraima deixa disponível a conta bancária para quem desejar ajudar financeiramente. Qualquer valor é bem-vindo.

DIOCESE DE RORAIMA 
CNPJ 05.936.794/0001-13
BANCO DO BRASIL
Agência: 2617-4
Conta Corrente: 20.355-6

No próximo dia 20 de junho, duas famílias venezuelanas, oito indivíduos no total, serão acolhidos, uma família residirá em uma casa na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Crixás em Rubiataba e outra na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Mozarlândia.