Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Igreja

Divulgada identidade da 4ª Semana Brasileira de Catequese

Divulgada identidade da 4ª Semana Brasileira de Catequese

Como tema: "A serviço da iniciação à Vida Cristã" e o lema: “Nós ouvimos e sabemos que ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42), a Comissão Episcopal para Animação Bíblico-Catequética organiza a a 4ª Semana Brasileira de Catequese que se realizará de 14 a 18 de novembro de 2018, em Indaiatuba, Itaici (SP). A iniciativa pretende compreender a catequese de inspiração catecumenal buscando novos caminhos para a transmissão da fé, no contexto atual. “O evento é uma oportunidade de reafirmar nosso empenho e compromisso no serviço à Iniciação à Vida Cristã, como um itinerário para formar discípulos missionários de Jesus Cristo numa comunidade querigmática, mistagógica e missionária”, afirma o assessor da Comissão, padre Antonio Marcos Depizzoli. Nessa semana, o site da Comissão divulgou a logomarca do evento. O símbolo visual da 4ª Semana Brasileira de Catequese, que tem como inspiração o texto bíblico: “Nós ouvimos e sabemos que ele é o Salvador do mundo” (Jo 4,42), é constituído por uma cruz central, sinal de nossa salvação, sinal do amor de Jesus que nos amou até o fim. A cruz refere-se à morte de Jesus e também à sua ressurreição. A cruz é símbolo do estilo de vida que Cristo ensinou e que agora, somos convidados a assumir, do caminho pascal, de morte e ressurreição, que Cristo percorreu e que agora somos chamados a percorrer: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24).É com o sinal da cruz que os catecúmenos são acolhidos na iniciação cristã. Do lado esquerdo um pequeno traço nos lembra o lado transpassado de Cristo:  “Pendente da cruz, do seu coração aberto pela lança fez correr sangue e água” (RICA 215). O sangue e água são identificados pela Tradição da Igreja como os dois sacramentos principais: Eucaristia e Batismo. O lado aberto de Cristo morto na cruz também evoca a nossa imersão batismal na paixão e morte do Senhor. Do seio de Jesus elevado e glorificado no mistério da morte e ressurreição, flui a água viva, símbolo do dom do Espírito Santo. O Batismo confere aos fiéis o dom do Espírito Santo e os tornam portadores e templos do Espírito. O espiral que se forma nas cores vermelha e azul, símbolo do sangue e da água, remete-nos a caminhada que iniciamos todos nós, a partir da fé em Jesus Cristo e da sua Igreja, que nasceu do seu lado aberto, assim como nova Eva do lado do novo Adão. É símbolo da caminhada dos simpatizantes, catecúmenos, eleitos, neófitos... de todo Cristão. O espiral em sentido anti-horário, representando o Kairós de Deus, “o tempo oportuno”, pelo qual somos regidos, amadurecemos e crescemos, ano após ano, de domingo a domingo, de páscoa em páscoa, até a páscoa definitiva. As pegadas aí impressas mostram que a nossa fé não é circular, mas espiral, como no ano litúrgico. A cada ano concluído, não paramos no mesmo lugar, amadurecemos no seguimento, não somos mais os mesmos, subimos um degrau. Assim, a logotipo da 4ª SBC em sua simplicidade e profundidade, quer nos ajudar a refletir e a resgatar a essência de nossa fé e o fundamento da Iniciação à Vida Cristã, que deve unir experiência e anúncio, fé e vida num itinerário capaz de nos transformar em discípulos missionários de Jesus Cristo.   Com informações da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico-Catequética
Logotipo do Sìnodo da Amazônia é divulgado

Logotipo do Sìnodo da Amazônia é divulgado

Durante a apresentação do Documento Preparatório do Sìnodo da Amazônia, a REPAM- Brasil, divulgou o logotipo do evento. A criação é do artista baiano Aurélio Fred, do Ateliê 15. Arte elaborada no Brasil e aprovada para uso na Amazônia “A base para a logo é uma folha, que nos aponta para toda a biodiversidade presente na Amazônia. O movimento dela também nos lembra o fogo, uma chama, que é ação do Espírito agindo neste momento da história na Igreja e na Amazônia. A folha, por sua vez, não tem um traçado simples que aponta para uma única direção, mas traz a trama de uma cesta indígena, recordando a cultura das populações tradicionais, a força, o trabalho e o sentido de unidade. Unidade, aqui, de toda a Pan-Amazônia, lembrada nas cores das bandeiras dos países que a compõem, não tendo uma cor ou bandeira que prevaleça sobre a outra. No centro, um rio que une toda a região, com seus afluentes e bacias, símbolo também do caminho, motivação do tema do Sínodo, e que passa pela cruz, nossa identidade de Igreja e de cristãos”. O logotipo do Sínodo para a Amazônia obteve a aprovação da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos, em Roma, e será utilizado para a difusão do material de divulgação do evento e do Documento Preparatório no território amazônico.